24 de novembro, 2021 Lucas Lopes

Gestão de fundos de investimento imobiliário desacelera em outubro

A corrida aos fundos imobiliários esmoreceu em outubro, depois de ter acelerado em setembro (face a agosto), segundo dados divulgados pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). Em outubro, o valor sob gestão dos Fundos de Investimento Imobiliário (FII), dos Fundos Especiais de Investimento Imobiliário (FEII) e dos Fundos de Gestão de Património Imobiliário (FUNGEPI) atingiu 10.650,0 milhões de euros, menos 124,7 milhões (1,2%) que em setembro.

De recordar que em setembro gerido pelos três tipos de fundos tinha atingiu 10.774,8 milhões de euros, mais 67,1 milhões (0,6%) que no mês anterior.

Agora, em outubro, o montante investido diminuiu nas três diferentes tipologias de fundos: 

  • 0,8% para 7.989,2 milhões de euros nos FII;
  • 0,17% para 2.302,5 milhões de euros nos FEII;
  • 13,3% para 358,4 milhões de euros nos FUNGEPI.

“No período em análise, os países da União Europeia foram o destino da totalidade do investimento feito em ativos imobiliários, tendo 48,8% da carteira dos FII e FEII abertos sido aplicados em imóveis do setor dos serviços. Também os investimentos realizados pelos FUNGEPI se destinaram, sobretudo, ao setor dos serviços (46,7% do total)”, lê-se na nota da CMVM.

O supervisor adianta ainda que a Square AM (11,8%), a Interfundos (11,7%) e a Caixa Gestão de Ativos (8,9%) detinham, em outubro, as quotas de mercado mais elevadas.

De referir ainda que foi liquidado o fundo especial de investimento imobiliário “Imorocha – Fundo Especial de Investimento Imobiliário Fechado”, gerido pela Caixa Gestão de Ativos.

 

Fonte: Idealista