26 de outubro, 2021 Lucas Lopes

Crédito habitação jovem: quais são os documentos necessários?

Na hora de pedir um crédito habitação jovem é necessário apresentar ao banco vários documentos para análise do teu caso.

Pedir um crédito habitação jovem não tem de ser uma dor de cabeça. No entanto, há várias etapas pelas quais terás de passar. A documentação a apresentar no banco, será uma das primeiras. Os documentos pedidos para analisar o teu caso não variam muito entre bancos e servem, essencialmente, para a entidade bancária perceber as capacidades de cumprimento do contrato de crédito.

No caso de pedires um crédito habitação jovem e recorreres a fiadores, também eles terão de apresentar ao banco documentos que comprovem que serão capazes de assegurar o pagamento do crédito, no caso de incumprimento.

 

Crédito habitação jovem: documentos do cliente

Documento de identificação: Deve estar atualizado e ser legível. Serve para comprovar a identidade de quem está a pedir o empréstimo.

Comprovativo de residência: Serve para confirmar que os dados inscritos no pedido de crédito estão corretos, no que respeita à morada.

  • Fatura de serviços que contenham o nome do titular e morada como por exemplo: água, luz, telecomunicações.

Comprovativo de rendimentos: Estes documentos permitirão à instituição bancária perceber a percentagem de taxa de esforço do cliente e o respetivo risco de incumprimento do crédito.

  • Últimos três recibos de vencimento ou os seis últimos no caso de trabalhadores a recibos verdes;
  • Declaração de IRS + nota de liquidação do ano anterior;
  • Declaração da entidade patronal que comprove o vínculo laboral do trabalhador.

Registos bancários: Permitem ao banco confirmar que a conta para onde será transferido o montante solicitado, corresponde ao cliente que será titular do crédito.

  • Extratos bancários dos últimos 3 meses;
  • Comprovativo de IBAN.

Mapa de responsabilidades do Banco de Portugal: É através deste documento que temos acesso a um histórico de todos créditos a decorrer, isto é, se há valores em dívida, prestações e revela ainda o nível de responsabilidade do cliente no que respeita a pagamentos.

 

Crédito habitação jovem: o que é preciso para ser fiador?

Mais uma vez os critérios variam consoante a instituição bancária. Alguns podem, por exemplo, focar-se mais no salário e outros podem valorizar mais o património. Mas, de um modo geral, para ser fiador de um crédito habitação jovem é necessário:

  • Apresentar o documento de identificação;
  • Declaração de IRS + nota de liquidação;
  • Recibo de vencimento dos últimos 3 meses.

Além destes documentos, poderás ter uns pontos extra se:

  • Tiver rendimentos suficientes para, em caso de incumprimento, cobrir a dívida;
  • Possuir património mobiliário ou imobiliário;
  • Não estar na lista negra do Banco de Portugal.

Ser fiador de um crédito habitação jovem tem direitos e obrigações, mas acima de tudo, é uma responsabilidade. Antes de tomar uma decisão é importante estar informado sobre os cuidados a ter.

Em jeito de resumo aqui ficam as três fases pelas quais terás de passar ao longo do teu processo de crédito habitação jovem:

  • Primeira fase: Análise e pré-aprovação dos documentos diretamente relacionados com o cliente e a sua capacidade de cumprimento;
  • Segunda fase: Avaliação do imóvel. Requer a apresentação de documentos como a caderneta predial, certidão de teor do imóvel e respetivas plantas;
  • Terceira fase: Marcação da escritura. Chegado a esta fase, significa que o teu crédito foi aprovado e podes avançar para a realização da escritura.

Fonte: Idealista