29 de junho, 2021 Lucas Lopes

EMISSÃO DE LICENÇAS DE HABITAÇÃO CRESCE 20,6%

Todos os indicadores analisados, como o consumo de cimento, a concessão de crédito ou o valor de avaliação bancária, registaram crescimentos neste período.

Entre janeiro e abril deste ano, as licenças emitidas pelas câmaras municipais para obras de construção ou reabilitação de edifícios de habitação subiram 20,6% face a igual período do ano passado, para 6.336, em resultado de uma subida de 22,6% das licenças de habitação nova, de 19,1% dos fogos em construções novas e de 13,2% nas obras de reabilitação habitacionais.

Os números são do mais recente relatório Síntese Estatística da Habitação, agora divulgado pela AICCOPN, que salienta, contudo, que «estas expressivas variações no licenciamento são parcialmente explicadas pela redução do licenciamento ocorrida nos meses de março e abril de 2020, em resultado do surto pandémico e das primeiras medidas de confinamento».

O relatório destaca a performance da Área Metropolitana do Porto, que registou 5.360 novos fogos licenciados em construções novas, mais 11,6% que nos 12 meses anteriores. Destes, 22,1% são de tipologia T1 ou inferior, 28,2% T2 e 49,6% T3 ou superior.

Nestes primeiros 4 meses de 2021, registou-se um crescimento significativo do novo crédito concedido para aquisição de habitação, num total de 4.569 milhões de euros, mais 24,2% que em igual período de 2020.

No mês de abril, a avaliação bancária fixou um novo máximo histórico, de 1.200 euros por metro quadrado, que foi entretanto superado pelos 1.212 euros de maio.

 

Fonte: (re)portugal