7 de março, 2021 brandmanager@c21tipyfamily.com

6 Tendências do Mercado Imobiliário em 2021

O setor imobiliário está mais forte e mais tecnológico. A pandemia Covid-19, que tantos setores tem prejudicado, ainda pouco se fez sentir no mercado imobiliário.

A estratégia digital que o nosso setor tem adotado ao longo do tempo – e na CENTURY 21 TipyFamilyGroup somos uma prova disso – solidifica em muito a estratégia do negócio, permitindo a estabilidade dos resultados e a descoberta de novas oportunidades, mesmo em tempos conturbados.

Mas não foi só o mercado imobiliário que se digitalizou – o mundo inteiro fê-lo. E isso dá origem à primeira tendência do mercado imobiliário para 2021…

 

  1. Pesquisa por imóveis online

A prospeção online por parte do cliente comprador já era uma realidade, mas o confinamento (quase) dobrou esta tendência. Os níveis de tráfego na prospeção de imóveis para comprar e arrendar cresceu 44% em 2020, face ao período homólogo de 2019 (dados do idealista). Além de expressar a importância da presença digital, estes dados espelham novas oportunidades de negócio para os profissionais da mediação imobiliária.

 

  1. Apresentação digital do imóvel

Impulsionada pela primeira tendência que assinalámos, as visitas virtuais a imóveis tiveram um crescimento expressivo desde o início da pandemia. Motivadas pela conjuntura pandémica e as restrições legais, as visitas virtuais, os vídeos e as visitas 3D registaram aumentos de 90% nas visitas e mais 92% de contactos, quando comparados a um imóvel sem nenhum destes serviços.

 

  1. Casas maiores

Os períodos de confinamento e a realidade do teletrabalho levaram os compradores a valorizar casas com mais espaço e a preferir moradias a apartamentos. Comparando janeiro de 2020 a outubro de 2020, a evolução de visitas a imóveis com áreas entre 60 a 100m aumentou 34%, entre 100 a 140m aumentou 39%, e os imóveis com áreas de 140m a 180m bateu estes recordes, com um aumento de 45% das visitas.

 

  1. Espaço para teletrabalho

Em 2020 aprendemos a trabalhar a partir de casa, mas a adaptação não foi fácil para todos.

Em 2021 esta tendência continua. As casas que não estavam preparadas para o teletrabalho tiveram que se adaptar à realidade do home office – a título de exemplo, muitos quartos de hóspedes foram transformados em escritórios, e em casas mais pequenas, inúmeras mesas de refeição foram adaptadas para espaços de trabalho.

 

  1. Espaços exteriores

O tempo fechados em casa fez-nos valorizar a importância da liberdade e do ar puro. A procura para venda por vivendas com jardim e piscina, bem como por apartamentos com varanda aumentaram, respetivamente 109% e 121%. Apesar dos números do arrendamento serem comparativamente mais baixos, a expressividade mantém-se: aumentos de 81% (vivendas) e de 61% (apartamentos).

A mais, a venda de moradias aumentou 52% e a venda de quintas, herdades e casas rústicas aumentaram 65% em setembro de 2020, face ao período homólogo.

 

  1. Onde viver?

Apesar do aumento da procura nos centros urbanos, várias zonas do interior do país distinguiram-se pelo crescimento exponencial na procura por imóveis para venda: distrito de Beja (72%), distrito de Vila Real (60%) e a ilha de Porto Santo (87%).