13 de janeiro, 2021 brandmanager@c21tipyfamily.com

Imóveis mais procurados em plena pandemia. Arrendar moradia em Beja fica acima dos dois mil euros

Imóveis mais procurados em plena pandemia. Arrendar moradia em Beja fica acima dos dois mil euros

Comprar uma moradia em Faro pode custar 642 mil euros e arrendar um apartamento de tipologia T2 em Lisboa pode ficar em quase 1.300 euros.

 

Em plena pandemia de Covid-19 os portugueses têm procurado a melhor forma de encontrar casa. O estudo do portal “idealista” divulgado esta terça-feira, 12 de janeiro, aponta os distritos e regiões mais requisitados, com destaque para Beja, onde o arrendamento de uma moradia com uma área mínima de 132 m2 pode ficar em 2.393 euros.

No distrito alentejano este valor desce para os 2.175 euros se a dimensão da moradia for de 146 m2. Olhando para Lisboa, um apartamento para arrendar de tipologia T2 numa área de 95 m2 pode ficar em 1.169 mensais e ascender aos 1.286 euros por 85 m2.

De um modo geral existe uma maior procura por apartamentos do que moradias para arrendamento. Segundo o estudo, a cidade e distrito de Viseu é das mais requisitadas com apartamentos de tipologia T3 onde as áreas de 153 m2 e 137 m2 podem atingir os valores de arrendamento de 575 e 633 euros, respetivamente.

Seguem-se o distrito e a cidade de Braga (765 euros por 129 m2 e 695 euros por 143 m2), distrito de Vila Real (513 euros por 121 m2), cidade e distrito de Castelo Branco (498 euros por 117 m2), distrito de Santarém (648 euros por 112 m2), cidade e distrito de Faro (909 euros por 102 m2).

As zonas onde a renda mensal é mais barata e como tal requisitada pelos portugueses é na cidade de Portalegre, onde a preferência é pagar um máximo de 299 euros/mês para apartamentos de tipologia T1 com área mínima de 61 m2. Segue-se a cidade de Guarda, com valores máximos pretendidos de 330 euros/mês para apartamentos de tipologia T2 com áreas mínimas de 81 m2 e ainda abaixo do orçamento de 400 euros mensais, tem-se o distrito de Bragança onde, os compradores preferem pagar até um máximo de 363 euros/mês por apartamentos de tipologia T2 com um mínimo de 91 m2.

Analisando as habitações para compra verifica-se que a procura recai mais sobre moradias do que apartamentos, sendo no distrito de Faro que se pode encontrar o valor mais elevado de 642 mil euros por uma moradia de 220 m2.

Segue-se a cidade de Lisboa, com a procura mais concentrada em apartamentos de tipologia T2 com valores máximos de 481 mil euros, e na cidade do Funchal verifica-se uma preferência por moradias com preços máximos até 476 mil euros.

Em Portalegre, é onde os compradores preferem pagar menos, tanto na cidade de Portalegre (96 mil euros) como no distrito (101 mil euros), sendo as moradias o tipo de imóvel mais pretendido com áreas mínimas de 143 m2. Seguem-se o distrito de Castelo Branco (moradias até 112 mil euros com área mínima de 149 m2), distrito de Beja (moradias até 116 mil euros com área mínima de 132 m2), a cidade de Beja (moradias até 125 mil euros com área mínima de 133 m2) e o distrito da Guarda (moradias até 136 mil euros com área mínima de 173 m2).

 

Fonte: O Jornal Económico