30 de novembro, 2020 brandmanager@c21tipyfamily.com

Crédito Habitação: IAD e ITP os seguros que deverá escolher

O seguro de crédito habitação é essencial e inerente ao pedido de empréstimo com vista a conseguir adquirir uma habitação. Com o envelhecimento da população e a melhoria das condições de saúde, os próprios seguros de vida adequaram-se e têm três coberturas associadas: a morte, a invalidez absoluta e definitiva e a invalidez total e permanente.

Mas então como saber escolher o melhor dos seguros de vida associado ao crédito habitação? Os bancos costumam integrar os seus seguros ao empréstimo, por isso deve fazer as contas ao preço, mas também às exclusões e condições de cada um, dentro e fora do banco onde fez o crédito habitação. E preparar-se para decidir entre os seguros de vida IAD – Invalidez Absoluta e Definitiva e o ITP – Invalidez Total e Permanente. São duas opções de seguros de vida com algumas diferenças que podem ser significativas que convém conhecer perceber para saber qual escolher.

 

Seguro de Invalidez Absoluta e Definitiva

O seguro de Invalidez Absoluta e Definitiva (IAD) protege o proprietário do imóvel que faz crédito habitação de uma situação de invalidez resultante de acidente ou doença. Esta solução de seguros de vida, normalmente a preferida pelos bancos, é acionada quando se fica impedido de exercer uma atividade remunerada e até se torne dependente da assistência para satisfazer as suas necessidades básicas. O grau de incapacidade deverá estar acima dos 80%, considerando que a pessoa segura está em “estado vegetativo”.

Com o seguro de vida IAD, quer o banco quer o proprietário ficam mais salvaguardados em situações mais definitivas, e até por isso, o seu valor é mais baixo. Contudo, basta que mantenha algum grau de autonomia para poder ver-lhe negada a possibilidade de o acionar.

 

Seguro de Invalidez Total e Permanente

O seguro de Invalidez Total e Permanente (ITP) implica que haverá uma incapacidade resultante de um acidente ou de uma doença com um grau em média de 66% de acordo com o definido na Tabela Nacional de Incapacidades, definida pelo Estado. Dependendo das seguradoras, neste seguro de vida o grau de incapacidade pode variar entre os 60% e os 67%.  Incapacidade que impeça a pessoa de exercer uma atividade remunerada de forma total e definitiva.

A vantagem dos seguros de vida ITP é que abrange situações menos graves, sendo por isso o seu valor mais elevado. Fica mais seguro para situações que podem ser incapacitantes, sem serem tão desastrosas, mas tem de pagar mais por isso.

 

Idade e condições de saúde condicionam

A idade e as condições de saúde na altura da toma do seguro são também condicionantes que convidam a realizar várias simulações para encontrar o que se adequa ao seu caso.

Seja qual for o seguro que escolhe, a cobertura no caso de morte está prevista, está pré-definida.

Caso seja necessário acionar o seguro, qualquer das incapacidades terá de ser comprovada por Atestado Médico de Incapacidade Multiuso, atribuído por uma Junta Médica, e provavelmente de uma segunda comprovação de que essa situação não está suscetível a variação futura, ou seja, à melhoria do doente para voltar a ter condições de se sustentar – situação comum em doenças oncológicas.

O segurado deve fazer provar que não há perspetivas de melhoria no seu estado de saúde ou que as mazelas deixadas pela doença ou acidente resultaram numa incapacidade permanente.

Outro ponto importante a considerar é, caso seja um casal ou mais do que uma pessoa a pedir o crédito habitação, se o segundo outorgante tem capacidade financeira para arcar com os pagamentos do empréstimo.

O seguro de crédito habitação é essencial, mas assegure-se que é bem escolhido.

 

Fonte: Imovirtual