27 de outubro, 2020 brandmanager@c21tipyfamily.com

Domine o indicador TAEG para os seus créditos

Está em todos os anúncios, lê-se em maiúscula ou ouve-se a passar a correr, nas ruas, na rádio, na televisão ou online. TAEG ou Taxa Anual de Encargos Efetiva Global é um daqueles acrónimos que surgem sempre que se trata de um contrato de crédito. E, numa frase, é a taxa que mede o custo do empréstimo para o cliente por ano, em percentagem do montante emprestado.

O dinheiro custa. A taxa de juro do crédito indica o valor desse custo do dinheiro e existem várias formas de perceber as taxas por parte dos consumidores, sendo as mais conhecidas a Taxa Anual Nominal, a TAE – Taxa Anual Efetiva, que é a taxa de juro de um empréstimo refletindo o seu prazo total de pagamento e encargos, comissões e impostos, e a TAEG.

Valores a considerar para a TAEG

A TAEG inclui para avaliação do cliente de um crédito os valores com:

  • Juros
  • Comissões
  • Despesas, de impostos e encargos em emolumentos numa hipoteca, se houver garantia hipotecária associada ao empréstimo
  • Seguros, exigidos para a obtenção do crédito
  • Comissão de manutenção de conta à ordem, se esta for obrigatória para a gestão do pagamento do empréstimo realizado
  • Remuneração do intermediário de crédito, quando esse pagamento fica na responsabilidade do cliente
  • E outros encargos, menores.

Ou seja, contabiliza além dos juros dos empréstimos, todos os outros encargos que o cliente terá de pagar pelo crédito.

Exemplo de TAEG

Portanto, exemplifica no seu sítio online o próprio Banco de Portugal, enquanto entidade informativa e reguladora:

Num empréstimo de 12.000€ a pagar a 5 anos (ou 60 meses) a uma taxa de juro anual nominal de 8% com comissões iniciais de 200€ (mais imposto de selo) e comissões mensais de 1,5€ (mais imposto de selo) a TAEG seria de 11%. Isto quer para além dos 12.000€ do empréstimo, o consumidor teria de pagar em custos associados ao crédito, por ano, o equivalente a 11% do montante do empréstimo.

Utilidade da TAEG

Há dois elementos muito importantes na avaliação de propostas de crédito, mais importantes até que o famoso spread: A TAEG e o MTIC – que é o Montante Total Imputado ao Consumidor. Se houver propostas com o mesmo montante e prazo, ou aproximados, convém escolher pelos que tiverem a TAEG (ou o MTIC) mais baixos, pois isso significa que será o empréstimo em que o cliente suportará menos custos.

A TAEG revela todos os valores do crédito em percentagem anual do montante do empréstimo e o MTIC a soma do montante do crédito com todos os encargos que o cliente irá pagar durante a vigência do empréstimo.

A TAEG também pode diminuir, e deve, quando o spread diminui – em consequência, por exemplo, da contratação com o empréstimo de outros produtos ou serviços financeiros do banco – de forma a refletir essa diminuição.

 

Fonte: Imovirtual