25 de agosto, 2020 brandmanager@c21tipyfamily.com

Juros do crédito à habitação sobem em julho

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos foi 0,950% no mês passando, enquanto a prestação média desceu dois euros, para 226 euros, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística.

 

As taxas de juro dos empréstimos para compra de casa subiram ligeiramente no mês passado. A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos foi 0,950% em julho, o que representa um aumento de 1,8 pontos base (p.b.) em relação a junho.

Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro também subiu: de 0,900% em junho para 0,969% em julho, de acordo com os dados divulgados esta quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

O capital médio em dívida aumentou 77 euros, fixando-se em 54.203 euros, e nos contratos celebrados nos últimos três meses, o montante médio do capital em dívida foi 109.242 euros, um número igualmente superior –  em 782 euros – ao que havia sido registado em junho.

Já a prestação média desceu dois euros, para os 226 euros, sendo que, desse valor, 43 euros (19%) correspondem a pagamento de juros e 183 euros (81%) a capital amortizado, segundo o último relatório do organismo de estatística português.

“Para o destino de financiamento aquisição de habitação, o mais relevante no conjunto do crédito à habitação, a taxa de juro implícita para o total dos contratos subiu para 0,966% (+2 pontos base face a junho). Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro para este destino de financiamento fixou-se em 0,963%”, lê-se no relatório do INE publicado esta manhã.

 

Fonte: O Jornal Económico