12 de junho, 2020 rcruz

Oferta de imóveis caiu 60% devido ao Covid-19 mas preços médios de venda não desceram

Desde Fevereiro, mês em que se verificou o pico, até Maio os apartamentos retirados e vendidos  na Internet recuaram 60% em Lisboa, 62% no Porto e 60% em Faro mas os preços mantiveram-se, revela o estudo da Casafari.

De acordo com a proptech portuguesa que detém a mais completa e limpa base de dados do mercado imobiliário em Portugal, que acaba de divulgar o seu primeiro ‘Market Report’, relativo a Lisboa, Porto e Faro, com dados dos últimos sete meses, após o pico observado em Fevereiro, verificou-se uma redução no número de listagens de novos imóveis, com Lisboa a registar uma quebra de 9%(15.867 em Fevereiro face 14.409 em maio), Porto e Faro com quedas de 5% e 3%, respectivamente;

Quanto aos preços por m² o relatório da Casafari indica que se mantiveram estáveis, verificando-se um abrandamento do aumento dos preços, enquanto as reduções de preços verificaram a variação percentual mais baixadesde o início do ano, com quebras que oscilaram entre os 27% no Porto, 75% em Lisboa e 79% em Faro desde Fevereiro até Maio;

Relativamente ao mercado de arrendamento, após uma súbita descida, a proptech refere que se registou um ligeiro aumento da oferta (21,43% no Porto, 1,44% em Lisboa e 13,35% em Faro)nos últimos meses, sendo que os preços das rendas mantiveram-se estáveisapesar da ligeira tendência ascendente do número de imóveis para arrendar;

O relatório salienta ainda que um dos efeitos mais directos provocado pela pandemia consistiu na canalização de apartamentos de alojamento local para o mercado de arrendamento.

Na opinião de Nils Henning, fundador da Casafari, “ao utilizar a base de dados mais completa do mercado imobiliário, actualizada em tempo real,  este relatório é um retrato fidedigno e fiel do mercado de venda e arrendamento de imóveis em Lisboa. Concluímos que os dois primeiros meses do ano foram bastante positivos, com Fevereiro a ser o melhor mês para o mercado imobiliário, mas Março revelou-se um mês em que assistimos a quebras a vários níveis, um sinal que o mercado está a reagir à  actual situação da pandemia. Os dados registados já nos estão a indicar alguns sinais de retoma e o mercado imobiliário português deverá recuperar gradualmente ao longo de 2021”.

De referir que os dados do estudo deste estudo da Casafari, são baseados na maior, mais completa e limpa base de dados de anúncios de propriedades à venda ou para arrendar, num total de mais de 5,8 milhões de propriedades únicas agregadas de mais de 9.500 fontes, incluindo sites de imobiliárias e portais imobiliários. 

Fonte: Diário Imobiliário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.