30 de janeiro, 2020 rcruz

Em 2019 fecharam mais de 900 imobiliárias

Setor atravessa reformulação pela entrada de novas plataformas e monopólio das marcas internacionais

Foi a pior sequência de que há memória no sector. Em apenas três meses, os últimos de 2019, fecharam 495 agências imobiliárias em Portugal. Os números do Instituto dos Mercados Públicos, do Imobiliário e da Construção (IMPIC) são reveladores: ao longo do ano, 975 empresas suspenderam ou cancelaram a sua licença de atividade. Se as grandes marcas de mediação imobiliária têm vindo a absorver muitos dos negócios unipessoais — são cada vez menos as pequenas agências —, a transformação digital está também a revolucionar a forma de vender casas.

“Até há dois anos, as mediadoras tinham entre três a sete pessoas. Acima destes números eram grandes empresas. Com o aparecimento de marcas como a KW, Zome, RE/MAX, estão a surgir grandes filiais de mediação imobiliária, com mais de 100 pessoas ligadas a estas marcas. E isto não acontecia antigamente”, diz ao Expresso Manuel Braga, consultor da iMovendo.

Fonte: Expresso