22 de junho, 2018 rcruz

Mais de 80% das casas em Portugal vendem-se em seis meses

De acordo com o barómetro da APEMIP, relativo a Dezembro de 2017, “o sector imobiliário português vive um dinamismo que há muito não se verificava, sobretudo no que diz respeito ao segmento habitacional”.

“É absolutamente fabuloso assistir a esta dinâmica, sobretudo quando comparada com aquela que existia há cerca de dois/três anos, em que os activos em carteira levavam até dois anos a ser transaccionados”, afirma, em comunicado, o presidente da APEMIP, Luís Lima, considerando que a “rapidez” agora registada, com mais de 80% dos imóveis a serem transaccionados em menos de seis meses, confirma o bom momento do mercado imobiliário.

Os dados do barómetro da APEMIP revelam ainda que “cerca de 55,6% das vendas foi de imóveis de preço até 175.000 euros”, valores que para o representante das empresas de mediação imobiliária “espelham o grosso das vendas feitas no mercado doméstico”.

Em relação às tipologias mais vendidas, cerca de 61% foi de T1 e T2, seguindo-se T3 com 31% das transacções efectuadas, segundo os dados do barómetro imobiliário.

“Este é um bom indicador daquilo que é o grosso da procura das famílias, informação que pode e deve ser tida em conta logo que haja o desejado regresso à construção nova”, defendeu o presidente da APEMIP, advogando que o grande desafio do sector em Portugal é “a ausência de ‘stock’ imobiliário nas cidades, que é o principal factor para o acentudo aumento de preços que se tem verificado no mercado”.

Fonte: Blog Century 21